terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Um pouquinho de amor próprio pra curar o desamor

Com as malas nas mãos, ele partiu. Pude ouvir o barulho de seus últimos passos na escada, e logo em seguida o bater da porta.
Me retorci em meio as cobertas. Devia correr atrás dele e implorar que ele ficasse somente mais uma noite para conversarmos? Mas então viraria rotina, já não era a primeira vez em que brigávamos.
O deixei partir. O carro cantando os pneus lá fora, então a chuva decidiu cair.
Arrisquei chegar até a janela para ver com meus próprios olhos que ele havia mesmo partido; mas lutei contra mim mesma em vão. Desisti, em meio a lágrimas.
Desisto, falei para mim mesma. Desisto.
Tais palavras falsas, embora reconfortantes. Tão difícil dizê-las ao coração, mas a mente dizia ser real.
Nunca o amei, disse sorrindo.
Levantei aos pulos, fui até o armário, peguei a primeira roupa em que vi.
Caminhei até o banheiro, talvez o lugar mais próximo. No fundo, não queria me ver no espelho, devia estar acaba demais, havia chorado a noite inteira, havia marcas em mim, mas era necessário me encarar de frente, já era hora de tudo aquilo acabar.
Chegando ao espelho, vi uma pessoa diferente, alguém sem coração, uma pessoa que não era eu.
Falsa, inútil; cuspi tais palavras ao espelho. Finge desamor, mas o ama. Sofrerá a vida inteira.
Lágrimas desceram, mas continuei sorrindo.
Alguém ali tomava posse de mim, alguém revoltada, alguém sem amor.
- Amor, sabe o que dele? Acha que amor é isso o que sente? Sofrer? Chorar? Pensar na pessoa e se lamentar por perdê-la? E você!? Você não se ama? Se ame, inútil! Se valorize, se vista, saia, curta, viva. Como quer amar alguém se você mesma não se ama? E depois vem falar que eu não tenho coração; você que se auto-machuca, se despreza e não se ama. Se ele te amasse como ele se ama, passaria a noite e então vocês conversariam. Mas é necessário em primeiro lugar o amor próprio, e ele se ama mais que tudo para aceitar as bobagens que um dia você aceitou vindas dele. Já disse, sorria.

Quem era aquela? Mas ela tinha razão, devia me amar, me fazer feliz primeiramente, para depois fazê-lo. Como posso amar alguém se não me amo? Como posso fazer alguém feliz me machucando?

Porque o único amor que existe mesmo, é o amor próprio, pois você nunca vai abandonar você. Pode pensar em sumir, morrer, mas abandonar... nunca!






Viu como estou sem jeito pra escrever? só saem essas coisas inúteis, mas não posso deixar aqui sem postar... Bom, tentei.



Foto inspirada no Natal. Como eu queria que aqui nevasse...

Beeeeeeeeeeijos, boas festas!



12 comentários:

  1. Não vejo nada de inútil aqui. Belas palavras! Um feliz ano novo para você também!

    ResponderExcluir
  2. Como eu queria que aqui nevasse +1

    É antes de amarmos alguém temos que nos amar, amor próprio em primeiro lugar!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Não vi nada de inutil, o texto ficou muito bom.
    Também queria que no nevasse por aqui, seria legal ^^

    bjus =*

    ResponderExcluir
  4. Lindo de morrer. Quando nos amamos abrimos oportunidades para sermos amados.
    Feliz 2010. bjao

    ResponderExcluir
  5. Quando a gente se ama, a gente consegue amar o outro de forma sincera e pura.

    Ficou lindo o texto!
    Adorei como você escreveu.

    Me emocionei muito nesse aqui nesse blog, quero agradecer por isso.
    Foi um prazer conhecê-la e saber que vou conhecer mais ainda no que ano que virá.

    Feliz 2010!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Inuteis nada,eu achei lindissimo o texto,ficou um texto que lembra magia,a magia do natal com um amor que fica=)

    ResponderExcluir
  7. Saiba que suas palavras foram profundas. Admiro a sua força e corage.E quer saber ? Resolvi dançar.
    Obrigada pela visita.

    ResponderExcluir
  8. aprendi aos poucos a me amar primeiramente, demorou mas valeu a pena!

    ...escreva assim mesmo, sem motivo ou causa....escreva pelo simples fato de escrever!
    ;)


    beijos

    ResponderExcluir
  9. A partir do momento em que nos amamos conhecemos o amor entre duas pessoas, verdade mais pura que existe, ah o texto não está sem jeito não, deixa de bobagem, feliz 2010.

    ResponderExcluir
  10. 2010 vc tenha muito para comemorar, que seus dias sejam repletos de paz, saúde e realizações de seus sonhos e que seu bloguinho continue bombando =)
    tudo de melhor para vc sempre.
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Não saiu um texto inútil....e sim, saiu um texto com uma linguagem solta aliada a uma lenidade deliciosa de apreciar cada entrelinha.

    Parabéns.

    Estou seguindo o seu blog e ñ deixe de postar, ok? rs =)

    Se puder, por favor, faça parte da nossa comunidade -, sim, esta tb é sua já que escreves =)

    http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=96229629

    Incontáveis abraços.

    ResponderExcluir

Faça um comentário, se houver um. Caso ao contrário, se apenas gostou do texto, ou o leu e não há nada a declarar, clique nas opções acima (Eu li/E gostei).
Saiba que não precisa obter conta no Google para comentar, você pode deixar seu comentário como anônimo. Preferindo se identificar, deixe seu e-mail ou algo assim. Os comentários de postagens recentes passam primeiro pela minha aprovação, não o postarei de você quiser deixá-lo oculto.

Pratique a leitura.

Translate