quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

...

O amor tem um cheiro amargo, como o de um cigarro, aqueles que tu fumavas depois de fazermos amor. Então você sentava na beira da janela e olhava lá fora, tragando um ou dois maços conseguintes. Resmungava do vizinho que não apagava as luzes para deitar-se e depois ria de ver tanta ironia em nós dois.
O amor vem pra mim como um cigarro, embora eu nunca o tenha entre os dedos, mas me invade o corpo, dominando o pulmão, infectando e me matando aos poucos de prazer. E a cada tragada te sinto mais amargo, entrando em minhas narinas, ressecando minha garganta, me infestiando com tua presença. Tão marcante, tão fútil e viciante; teu amor pra mim é um vício, não aguento apenas uma tragada de ti.

7 comentários:

  1. Gostei do texto, muito bom, não sei se é meu gosto por cigarro, mas a alusão ficou muito boa. Temos que tragar quem amamos, mesmo que desenvolva um câncer amoroso.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, realmente muito bom.
    Amor é mesmo igual cigarro, é viciante, nescessário, em excesso faz mal e tem seu glamour.

    Lindo, mesmo, seu texto!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Certamente amar é um vicio que sempre temos a necessidade de estar amando.

    ResponderExcluir
  4. Apesar de odiar cigarro, adorei a comparação q fez.
    Ficou muito bem escrito.
    Bjos

    ResponderExcluir
  5. E amor é um vício que te mata aos poucos, porém é o único q pode te manter vivo.

    ResponderExcluir
  6. O amor...
    O meu amor lembra cigarro mesmo.

    :*

    ResponderExcluir

Faça um comentário, se houver um. Caso ao contrário, se apenas gostou do texto, ou o leu e não há nada a declarar, clique nas opções acima (Eu li/E gostei).
Saiba que não precisa obter conta no Google para comentar, você pode deixar seu comentário como anônimo. Preferindo se identificar, deixe seu e-mail ou algo assim. Os comentários de postagens recentes passam primeiro pela minha aprovação, não o postarei de você quiser deixá-lo oculto.

Pratique a leitura.

Translate