quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Pra não perder o costume de poetizar

Clamor daquela que ama

Arranca-me as asas
E me perco à pé
Diz o que quer
Escuta-me se quiser.

E ele tapa os ouvidos
E não me distraia com um abraço,
As palavras más não se desorientam
Não se desfazem em pedaços.

Porque eu sei...
Nosso amor é mais forte
O abraço é mais intenso
O carinho é mais doce...
Mas ciúmes me morde!

Ó, cessa-me, Deus, essa voz
A voz que aqui dentro grita,
O sentimento que me domina.

Cesse!
Cesse nossas brigas...
Cesse toda nossa discórdia...
Antes que venham noites mal-dormidas
E esta minha cama esteja vazia.

Faça de nós um laço
Amarre toda estas pontas.

No desfecho, faça um nó
Um nó cego assim como eu
Um nó bom como este amor
Um nó épico assim como esta dor.


Gabriela Marques
24/11/2011




9 comentários:

  1. Ah, Gabi. Como eu sinto falta de passar aqui e ler coisas tão belas. Acho que nunca me identifiquei tanto com um texto seu como agora. Estive passando por perrengues, principalmente o ciúme. Confesso que o nó não deu muito certo. Coloquei um ponto final na página e comecei outra, sem ser o verso. Escrever por cima das saliências do passado, poderia não ajudar. Mas obrigada, por me fazer entender hoje que o amor pode ser tão importante quanto qualquer outra coisa.

    Sinto falta.
    Um beijo, e bom final de semana :)

    ResponderExcluir
  2. Ahh, Gabriela! Essa é a odisseia do amor. E ainda bem que sentes, porque teu poema é um louvor, ao sentir que amadurece.

    Lindo poema, e que cessem todos os motivos de discórdia,acredito que o Universo, esteja à teu favor.
    Um bom fim de semana,
    Saudações.

    ResponderExcluir
  3. Então as palavras dançam como se fossem a melodia mais bela...
    Adorei o poema!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. "Cesse nossas brigas,cesse nossas discórdias, antes que venham noites mal-dormidas."

    Comigo não cessou, e o que era inevitável aconteceu:o fim.E eu dormi muito mal todo esse tempo... mas agora que tudo já passou,eu já respiro bem mais aliviada. :)

    Beijoos, bom fds. ;*

    ResponderExcluir
  5. Ah, ciúmes...sempre um problema.

    Beijo, flor.

    ResponderExcluir
  6. Tempo que não lia seu blog. Belo poema!

    ResponderExcluir
  7. Gabi, só vim te dizer que consegui realizar aqueeele sonho.. que você até me ajudou divulgando aqui =)
    Não consegui pela promoção, mas fui atrás e enfim, deu tudo certo. Muito obrigada mais uma vez. Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Como a poesia flui e a dor passa...

    ResponderExcluir

Faça um comentário, se houver um. Caso ao contrário, se apenas gostou do texto, ou o leu e não há nada a declarar, clique nas opções acima (Eu li/E gostei).
Saiba que não precisa obter conta no Google para comentar, você pode deixar seu comentário como anônimo. Preferindo se identificar, deixe seu e-mail ou algo assim. Os comentários de postagens recentes passam primeiro pela minha aprovação, não o postarei de você quiser deixá-lo oculto.

Pratique a leitura.

Translate